Informações para Imprensa sobre Viena – 05/2020 Ela volta a girar


1. À manivela – sem reclamação!

Os construtores ingleses Walter Basset e Harry Hitchins construíram a Roda Gigante de Viena de modo que, em caso de falta de energia, ela possa ser girada à manivela

2. Do alto de 64,75 metros

No final do século XIX, as rodas gigantes eram a grande pedida mundo afora. A Roda Gigante de Viena foi erguida no jubileu de 50 anos de reinado do Imperador Francisco José. À época de sua inauguração (21 de junho de 1897), a Roda Gigante de Viena, do alto de seus 64,75 metros de altura, era a maior do seu tipo.

3. A roda gigante “banguela”

Inicialmente, a Roda Gigante contava com 30 gôndolas. Depois da Segunda Guerra Mundial, 15 delas foram desativadas por motivos de segurança. Com isso, tornou-se recorrente entre o povo vienense a impressão de que a roda estaria com dentes faltando.

4. 430 toneladas de beleza 

Todas as peças de metal da Roda Gigante pesam, juntas, cerca de 430 toneladas. Trata-se de uma senhora um tanto encorpada.

5. Precisa de orientação? 

A Roda Gigante é estruturada perfeitamente de acordo com os quatro pontos cardeais e gira precisamente na direção norte-sul. Por isso, ela oferece uma excelente ajuda para quem estiver em busca de referências geográficas nos seus arredores.

6. Ação! 

O parque Prater e, em especial, a Roda Gigante foram e seguem sendo locações muito recorrentes em filmes. Desde clássicos como “O terceiro homem” (1949) até o romance “Antes do amanhecer” (1995), passando por “007 – Marcado para a morte” (1987), não houve quase nenhum filme na cidade que não tenha a Roda Gigante como protagonista. 

7. Dito e feito. 

E já que estamos falando de filmes: para uma cena do filme “007 – Marcado para a morte”, foi erguido às pressas um restaurante ao pé da Roda Gigante. Os vienenses acharam a ideia tão boa, que logo em seguida foi de fato inaugurado um espaço gastronômico exatamente naquele mesmo lugar.

8. Jantar com vista

Não há nada mais romântico que isso: o que você acha de um jantar suspenso à luz de velas? Na Roda Gigante de Viena, isso não é problema. Cada novo prato é servido sempre que a gôndola volta a passar pela área de embarque, à altura do chão.

9. Dublê lendária 

Em 1914, uma cavaleira artística francesa deu a volta na Roda Gigante montada em um cavalo por conta de um filme. Hein? Que história é essa? É isso mesmo, ela estava montada em um cavalo no teto de uma gôndola. Uma verdadeira sensação – tanto naquela época quanto hoje em dia.

10. 2,7 km/h

Em Viena, conforto é palavra de ordem. É por isso que as voltas na Roda Gigante acontecem de maneira sempre tranquila. Com uma velocidade máxima de 2,7 km/h, a volta completa levaria cerca de 4 minutos – isso, é claro, se não houvesse interrupções. Em média, a volta dura entre 12 e 15 minutos.

Contato para imprensa

Florian Wiesinger
Invalidenstraße 6
1030 Viena
Austria
tel. (+ 43 1) 211 14-362

Recommend article

Please complete all the mandatory fields marked with *.
The data and email addresses you provide will not be saved or used for other purposes.

From
to
Rate this article
Recommend article

Please complete all the mandatory fields marked with *.
The data and email addresses you provide will not be saved or used for other purposes.

From
to
Feedback to the vienna.info editorial team

Please complete all the mandatory fields marked with *.

Title *
Service links